Vitaminas e Minerais suas funções no Organismo

15 dez Vitaminas e Minerais suas funções no Organismo

 

  • Vitamina “A” , o que sua falta provoca?Um dos principais sintomas da carência dessa vitamina é a dificuldade em enxergar à noite. Ela ainda faz bem para pele, gengiva e cabelo.
  • Vitaminas do complexo B, o que sua falta provoca?

     

Cansaço, fraqueza e fadiga; Isso porque todas as vitaminas desse complexo agem nas reações que transformam os alimentos em energia para o organismo.

Onde encontro? Alimentos específicos de acordo com o quadro clínico e resposta do organismos com exames complementares.

  • E a vitamina C, o que sua falta provoca? Enfraquecimento do sistema imunológico, já que a C aumenta as defesas do organismo contra vírus e bactérias. Também pode haver sangramento na gengiva e no nariz.

  • E a vitamina D, o que sua falta provoca? Osteoporose, mal de Alzheimer, desequilíbrio hormonal e diminuição das defesas imunológicas. pois colabora na absorção do cálcio que vai para os ossos. Também preserva a saúde do cérebro, por ser antioxidante. Colabora na manutenção e formação hormonal. Aumenta a produção da imunidade humoral, sendo útil também em certos tumores também por modular a atuação do cálcio.

 

  • E a vitamina E, o que sua falta provoca? Envelhecimento precoce, porque tem ação antioxidante, que impede a ação dos radicais livres, que destroem as células, atua especificamente na pele, mamas, próstata e gônadas.
  • E a vitamina K, o que sua falta provoca? 

Hemorragias, por ser uma vitamina vital no processo de coagulação do sangue. A carência dela também pode provocar osteoporose.A Vitamina K2 tem atuação similar à vitamina D, isto é, com múltiplas funções. 

  MINERAIS

São elementos inorgânicos necessários ao organismo, para atuar como catalisadores nas reações bioquímicas. Assim como as vitaminas, funcionam como coenzimas (catalisadores) possibilitando que o corpo realize rápida e precisamente suas atividades. São necessárias à composição adequada dos fluidos corporais, formação do sangue e ossos e  manutenção da saúde do sistema nervoso. 

Macrominerais:

  • Cálcio
  • Fósforo
  • Sódio
  • Potássio
  • Magnésio.
  • Cloro.
  • Enxofre.

FÓSFORO: Apesar de ser encontrado abundantemente nos alimentos em geral, a deficiência de ânions fosfato no sangue pode levar a certo tipo de estado depressivo, pois se concentra ao nível do cérebro. 

 MAGNÉSIO: Age sobre o sistema nervoso central e o sistema nervoso simpático e também sobre o aparelho muscular. O Mg intervém diretamente na luta contra certos germes infecciosos, em particular o colibacilo e o estafilococo, sobre os quais exerce uma ação lítica; finalmente, em certos casos, ele pode ser indicado nas dores de neurite, nas colites e nas insuficiências hepáticas funcionais.                                                            

                                                                                                                 

Dificulta a formação de cálculos renais Em grande quantidade é laxante Promove o relaxamento muscular em repouso Sua deficiência causa insônia, nervosismo, depressão, fraqueza muscular. No meio extracelular das células nervosas, o cálcio faz o papel de estimulador enquanto o magnésio, o de relaxador.

Sódio – Seu excesso pode causar inchaço, pressão alta, falta de potássio, problemas renais e cardíacos. Está presente em todos  os alimentos. Uma colherzinha de chá de sal de cozinha (cloreto de sódio) contém 2 gramas de sódio. Recomenda-se para quem não tem problema de hipertensão + ou – 3 gramas por dia  .

Potássio – Participa  da contração muscular, condução nervosa, batimentos cardíacos, produção de energia e síntese de proteínas. Alimentos ricos em potássio combatem a pressão alta. Melhora o desempenho de atletas. O potássio trabalha com o magnésio como um relaxante muscular em oposição ao cálcio que causa a irritação e contração muscular. O potássio extracelular afeta os músculos estriados e pode causar paralisia quando em excesso.

Cálcio – Importante para condução de estímulos nervosos Contração dos músculos Controle da frequência cardíaca Em excesso pode provocar cálculos renais ou piorar a tensão pré-menstrual . Café e comidas muito salgadas aumentam a  perda de cálcio pela urina . pelo decréscimo da secreção gástrica de ácido clorídrico . 

Enxofre –  É componente das vitaminas do complexo B. Fundamental nos processos anti-infecciosos, bactericida, fundamental nos processos de redução, contrapondo-se a ação oxidante. Oligoelementos Outros são indispensáveis para o organismo, porém em quantidades bem menores – os oligoelementos – Somente poucos miligramas ou traços são necessários diariamente. São também conhecidos como “elementos traço”:

  • Cobalto
  • Cobre
  • Cromo
  • Ferro
  • Flúor
  • Iodo
  • Manganês
  • Molibdênio
  • Selênio
  • Silício
  • Vanádio
  • Zinco

 MANGANÊS:  Atua mais nos estados alérgicos, em casos específicos de artrose, na fadiga habitual e certas disfunções da tireóide. Importante eliminador de Radicais Livres. Sua deficiência está relacionada com a fragilidade dos ossos, problemas cardíacos, arritmias cardíacas, diminuição da produção de insulina.

· COBRE Sua intervenção catalítica sobre o organismo é indispensável para a fixação do ferro nos glóbulos vermelhos do sangue, donde sua utilidade em caso de anemias e astenias: porém, suas maiores propriedades são a luta contra as inflamações e as infecções. Associado ao manganês, reforça a ação deste nos estados alérgicos e nos reumatismos inflamatórios, regularizando e estimulando a ação das cápsulas supra-renais: sua prescrição permite ao organismo formar anticorpos e antitoxinas microbianas.

· COBALTO Esse elemento desempenha uma função importante no metabolismo dos hidratos de carbono e desenvolve um efeito de vasodilatação sobre o sistema arterial, age, portanto, como hipotensor. Além do mais, por sua intervenção reguladora sobre o sistema nervoso simpático, é indicado em todos os tipos de manifestações próprias da disfunção do simpático.

 

 Associado ao manganês, será prescrito na diátese neuroartrítica ou em caso de distúrbios circulatórios periféricos ou coronários.

Esse complexo é, pois, indicado para as cãibras, para o problema de peso nas pernas que se sucede ou não às flebites, assim como para as varizes ou úlceras varicosas.

Ferro –  É o mineral mais importante no processo de produção de energia no organismo. Enzimas ricas em ferro participam do processo de queima de açúcar. Alimentos ricos em ferro: melado, ovos, vísceras, frango, germe de trigo, fígado.  Fósforo –  Participa da produção  e armazenamento de energia  , transmissão de informações biológicas, contração cardíaca. Em atletas aumenta a resistência e combate a fadiga.

Cobre –  Também faz parte da hemoglobina (responsável pelo transporte de oxigênio no organismo). Em excesso estimula o efeito dos Radicais Livres podendo induzir o câncer.

Zinco –  Principal protetor de sistema de defesa do organismo. Com a idade o zinco vai diminuindo. Aumenta a potencia sexual masculina e a libido (desejo sexual). Participa da formação da insulina.

Boro – É importante para a prevenção e tratamento da osteoporose na menopausa. Auxilia o desenvolvimento da musculatura. Parece ser útil na artrite.  Cromo –  É considerado o mineral-traço (ou oligoelemento) mais importante para evitar a intolerância à glicose (hipoglicemia, hiperglicemia ou diabetes).

Selênio –  Sua deficiência pode levar à: catarata, distrofia muscular, depressão, necrose de fígado, infertilidade, doenças cardíacas e câncer. É um excelente antioxidante.

Iodo – É o componente básico dos hormônios da tireóide. A deficiência de iodo no período fetal ou no recém-nascido pode causar cretinismo. A deficiência em crianças e adultos resulta em bócio (aumento da tireóide para poder compensar a falta de iodo). Em doses altas também é ruim, pois pode inibir o funcionamento dessa glândula, ou pode resultar em bócio tóxico (aumento da tireóide devido ao hipertireoidismo). Tem certa atuação antiviral.

Molibdênio –  Participa na formação óssea. Crescimento e metabolismo. Excesso de molibdênio parece interferir com o metabolismo do cobre. Fontes: Grãos integrais, frutas e vegetais.

Cobalto –  Componente da vitamina B12

Vanádio –  Mineral que recentemente foi aceito como necessário ao ser humano, está envolvido com o metabolismo dos carboidratos, especialmente da glicose e certos lipídeos. Estudos demonstraram que a ausência do mineral na dieta provoca problemas com o crescimento e na reprodução. 

Onde podemos podemos encontrar naturalmente estas vitaminas, minerais etc? Em alimentos específicos de acordo com o quadro clínico e resposta do organismo com exames complementares e demais dados, o que muda a cada 2 meses em média.

Sem Comentários

Deixe um Comentário